Meetup Drupal no ISCTE-IUL

No dia 2 de Junho das 10H as 14H (sábado) irá realizar-se um Meetup Drupal, no ISCTE-IUL (sala C104) promovido pelo MOSS, organizado pelo Prof. Carlos Costa (Coordenador Cientifico do Mestrado Software de Código Aberto- MOSS) do ISCTE em colaboração com Rui Figueiredo da Associação Drupal Portugal.
O Meetup tem como objectivo abordar temas pertinentes do Drupal, partilha, discussão de ideias e experiências.

Agenda:

  • Paulo Gomes – Drupal Distros “introdução, conceitos, vantagens e desvantagens em usar uma solução Drupal preparada para um determinado caso de uso”
  • Ricardo Amaro – Drupal Cloud Computing “Alta disponibilidade e performance”
  • João Belchior – Responsive Design “The good, bad and the not so ugly”
  • Paulo Graça – Workshop “Views Exposed Filters”

Open Source, Crise Económica e Oportunidades

Realizou-se no passado dia 8 de Maio uma sessão subordinada ao tema “Open Source, Crise Económica e Oportunidades”.

Os participantes no debate foram  Gonçalo Caseiro (Administrador AMA – Agência de Modernização Administrativa), Celso Martinho (Fundador SAPO, Diretor Portugal Telecom) e Paulo Trezentos (Professor Auxiliar ISCTE), tendo ainda sido moderado pela jornalista Mafalda Caneira.

Nessa sessão foi pré-visionado um documentário que irá passar na RTP em Junho da autoria da jornalista Mafalda Caneira. Em seguida foi debatido o papel do Open Source nos diversos contextos: empresarial, estado e escola. Daí ressaltaram fundamentalmente os casos do Sapo, da AMA, da Caixa Mágica e do ISCTE-IUL.

No que diz respeito ao Sapo, foi referido pelo Eng.º. Celso Martinho que esta empresa tem privilegiado o open source desde a sua fundação. Atualmente a esmagadora maioria dos servidores utilizam Linux Debian. Este facto resulta de razões históricas e do conhecimento adquirido nesta tecnologia. A Sapo tem também vindo a participar em alguns projetos de iniciativa open source http://oss.sapo.pt/ .

O Eng.º. Gonçalo Caseiro referiu o papel da AMA como instrumento de concretização da política do governo, que passa pela adoção de open source, no âmbito do “Novo plano de racionalização e redução de custos das TIC na Administração Pública” (RCM n.º 12/2012, de 7 de Fevereiro)

O Prof. Paulo Trezentos referiu o papel da Caixa Mágica como entidade que tem privilegiado o Open Source.  Tendo nascido na Adetti e ISCTE é atualmente uma entidade de referência, sendo o Linux – Caixa Mágica uma bandeira nacional e um dos Linux mais utilizados em Portugal.

No que diz respeito ao ISCTE (é às universidades portuguesas em geral), foi destacado o papel do ensino das engenharias e em específico da informática. Neste momento existe no ISCTE três licenciaturas na área das ciências da computação, são elas Informática e Gestão de Empresas (IGE), Engenharia Informática (LEI) e Engenharia de Telecomunicações e Informática (ETI). Nessas o papel do open source é significativo. O prof. Paulo Trezentos referiu que nessas licenciaturas leciona  Sistemas Operativos e que predomina o ensino de sistemas Open Source. O mesmo não acontece nas licenciaturas de outras áreas, nomeadamente na Gestão, onde os alunos só têm acesso a um sistema proprietários de um único fornecedor (Microsoft). Sendo que o ISCTE-IUL é única universidade portuguesa que conta com um Mestrado em Software de Código Aberto/ Mestrado em Open Source Software (MOSS) desde 2009 .

Foi ainda discutida a importância da difusão de utilização de Open Source e do Linux quer na forma de servidor, desktop e samrtphone. Referiu-se que no caso do desktop têm existido resistência.

Apesar de o open source estar na ordem do dia,  é de ressalvar que a adoção de sistemas de código aberto não tem apenas que ver com a atual situação de crise económica. Faz sentido falar de eficiência e utilização de FOSS, mesmo em alturas de crescimento.  Foi dado o exemplo dos países nórdicos, que não estando em crise, desde há muito que apostam e investem no open source, por uma questão de racionalização de recursos.

Seminario MOSS

This slideshow requires JavaScript.

No passado dia 12 de Maio foram apresentados em Seminário os seguintes trabalhos:
– “Estudo de Abordagens de Desenvolvimento de Open Source” por Agostinho Santos
– “Melhorar a Conversão entre Formatos de Documentos Abertos” por Flávio Moringa
– “Metodologia para auxiliar no processo de localização de um ERP Open Source” por Mário Batista
– “Como os media sociais podem ajudar a contextualizar e medir o impacto de uma marca ou produto?” por Nuno Silva
– “Modelo de Gestão de Informação no contexto de uma organização que opera no mercado das telecomunicações” por Nuno Sousa
– “Como facilitar a partilha e o acesso a conhecimento profissional de uma equipa organizacional?” por Rui Barbosa
– “Utilização de Ferramentas FOSS no Ensino Secundário em Portugal” por Tiago Gonçalves
– “Desenvolvimento de uma plataforma para automatismo de ferramentas de penetração e deteção de vulnerabilidades em redes sem fios (WLAN)” por Fernando Azevedo

Open Source,Economical Crisis and Opportunities

Fonte: http://www.flickr.com/photos/iscteiul/7165169790/in/set-72157629651865714/ (c) ISCTE-IUL

Open Source,Economical Crisis and Opportunities

No dia 8 de Maio (17:30h) realiza-se no ISCTE (Clube ISCTE, Edifício Ala Autónoma, último piso), o debate “Open Source, Economical Crisis and Opportunities”.

Os participantes no debate são Gonçalo Caseiro (Administrador AMA), Celso Martinho (Fundador SAPO, Director Portugal Telecom) e Paulo Trezentos (Professor Auxiliar ISCTE), sendo ainda moderadado pela jornalista Mafalda Caneira.

A entrada é gratuita mas está sujeita a inscrição para: marisa.alexandra.manteigas@iscte.pt (indicar nome, email e instituição).